Entenda o que é a Câmara Técnica dos Jurisdicionados do SIG

A tecnologia simplificou inúmeros processos na gestão administrativa. Mas, um volume maior de informações e diferentes sistemas para acompanhar demandou mais atenção dos servidores e agentes públicos para o acompanhamento das informações. Um jeito de simplificar a rotina é por meio da integração dos dados. Foi a partir dessa demanda que surgiu o Sistema Integrado de Gestão (SIG) proposto pelo Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina.

A proposta do SIG é integrar a base de dados das contas públicos dos 295 municípios catarinenses, câmaras de vereadores e suas unidades gestoras. Tudo ficará interligado diretamente com o Tribunal de Contas de Estado de Santa Catarina (TCE/SC). E, para acompanhar o andamento das atividades do SIG foi criada recentemente a Câmara Técnica dos Jurisdicionados do Sistema Integrado de Gestão.

“Este sistema representa um avanço para nós prefeitos, pois vai integrar a gestão pública municipal e permitir o acompanhamento de dados em tempo real. A tomada de decisão poderá ser feita com base em indicadores, que contribuirão para tornar a gestão pública mais eficiente”, afirmou o presidente do CIGA e prefeito de Luzerna, Moisés Diersmann.  

Saiba mais sobre a Câmara Técnica dos Jurisdicionados do SIG

A Câmara Técnica dos Jurisdicionados do Sistema Integrado de Gestão (SIG) do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC) tem caráter permanente. Seu propósito é analisar e avaliar o projeto. Entre os integrantes da Câmara Técnica estão representantes da FECAM, do CIGA, das associações dos municípios, controladores internos, contadores, fiscais, secretários de fazenda e profissionais do setor de licitações e jurídico dos municípios. Além destes também fazem parte profissionais de RH, TI e secretários executivos.

As primeiras atividades da Câmara Técnica foram avaliar e sugerir melhorias no descritivo técnico do projeto do Sistema Integrado de Gestão (SIG). A etapa inciais do trabalho compreende a apresentação dos sistemas SIGEF, SIGRH, ATF, com seus descritivos técnicos e o levantamento de adequações necessárias, que serão concluídas ainda neste mês.

O cronograma de trabalho prevê que em setembro a Câmara Técnica avalie o Portal da Transparência e os sistemas do Data Warehouse. Além disso, também será apresentado o modelo das atividades de ativação, adequação, implantação, sustentação e evolução do projeto do Sistema Integrado de Gestão. Por fim, a Câmara apresenta as responsabilidades gerais, formas de pagamento do projeto, modelo técnico do Data Center e do Service Desk e o cronograma de implantação e logística.

Segundo o presidente do CIGA, a expectativa dos prefeitos é a melhor possível. Embora a implantação de um novo sistema demande um certo esforço operacional e técnico, bem como a migração de dados, assim que o SIG estiver em operação trará muitos benefícios. Por isso, o prefeito Moisés ressalta que vale a pena o esforço. “Precisamos de indicadores, não por questões de controle, mas para aumentar a transparência pública e tomar decisões mais efetivas”, afirmou.