Expectativa para o lançamento do primeiro nanossatélite brasileiro

Durante o Congresso de Prefeitos, realizado no ano passado, o CIGA assinou uma parceria com a empresa Visiona Tecnologia Espacial, SENAI, FIESC, SDS e o sistema FECAM para o desenvolvimento do primeiro nanossatélite brasileiro. O VCUB1 deve ser lançado nos próximos meses.

O que é um nanossatélite?

Os nanossatélites são pequenos cubos, que pesam até 10 quilos e são utilizados para explorar o espaço. Eles podem ser usados para observar asteróides que possam apresentar perigo à Terra, mas também podem ser enviados à Marte. Com muitas possibilidades de uso, estão sendo desenvolvidos no mundo inteiro. Geralmente, são viabilizados por universidades e parcerias público-privadas, não só pela NASA. 

A missão do VCUB1

Segundo a Folha de S.Paulo, com o VCUB1 será possível coletar imagens e informações ambientais, em especial em relação à qualidade da água, dentre outras funcionalidades.

O VCUB1 possui uma câmera com alta resolução e uma capacidade de dar a volta à Terra em apenas 90 minutos. Sua missão é capturar dados que contribuam para o monitoramento de áreas de desmatamento e aumentem a produtividade na lavoura. E, isso só foi possível graças a parceria entre todas as instituições que se envolveram no projeto para tirar o nanossatélite do papel. 

Primeiro Satélite Brasileiro 

O SCD-1 foi o primeiro satélite brasileiro a entrar em órbita, em fevereiro de 1993. Ele é conhecido como um satélite de coleta de dados e a expectativa era que trabalhasse durante um ano. Mas, se passaram mais de 25 anos e ele continuou em atividade. Controlado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, atualmente ele só entra em operação quando a luz do sol bate em seus painéis solares. Isso, porque desde 2010 está com uma falha na bateria.